Informações úteis

Site de interesse que deves consultar:

http://legislacao.min-edu.pt/np4/142

 

Outras informações:

Dia do não fumador

http___legislacao.min-edu.pt_np4_np3content__newsId=4096&fileName=lei_60_2009

VIH

Advertisements

Alimentos de Outono

b

Abóbora: é fonte de vitaminas do complexo B e possui poucas calorias. Contém também minerais como fósforo, cálcio e ferro. A abóbora é um legume saudável que pode incluir sempre nas suas sopas e nas saladas. Pode salteá-la com outros legumes e claro, apostar em fazer doce de abóbora! Uma sobremesa que certamente vai melhorar os dias mais tristonhos do outono.

a

Espinafres: são fonte de ferro e tem uma função importante no trabalho das células sanguíneas. Que tal colocá-los na sopa ou salteá-los com azeite, alho e cogumelos? Se gosta de um petisco, porque não aproveitar e utilizá-los numa quiche para servir ao lanche.

e

Kiwi: são encontrados facilmente de abril a setembro. É uma fruta rica em vitamina C, E e potássio. Fonte de pectina, uma fibra que ajuda a controlar o nível de açúcar e colesterol no sangue. Tem efeito laxativo.

Laranja: rica em vitamina C, cálcio, fósforo e ferro. Melhora a imunidade e apresenta vários antioxidantes que ajudam a reduzir o colesterol, as inflamações e a bloquear as células cancerígenas. Contém fibras que auxiliam na diminuição dos problemas intestinais, além de dar energia. Também ajuda na produção de colagénio da pele.

Limão: rico em flavonóides cítricos, como a vitamina C, tem importante função antioxidante (combate os radicais livres, relacionados ao envelhecimento precoce e alguns cânceres). Apresenta alto teor de sais minerais. Fortalece a imunidade, ajuda na cicatrização de feridas e fortifica as paredes dos capilares sanguíneos. Por ser anti-séptico, é usado para tratar infecções respiratórias. A capacidade de extrair e dissolver ajuda no tratamento de furúnculos e abscessos. Estimula o fígado e pode ser usado como desintoxicante quando ingerido com água. Importante também na produção de colagénio, proporcionando rigidez à pele.

castanhas-assadasCastanhas – Assadas ou cozidas, em puré ou em sopa, e até nos doces, elas não podem faltar nesta estação do ano. As receitas com castanhas são muitas, seja em sobremesas, em pratos de carne ou peixe, nunca desiludem.

c

Maçã: contém vitaminas B1, B2 e niacina, além de minerais como ferro e fósforo. É rica em pectina, que se liga a toxinas e ao colesterol, expelindo-os do organismo; e em ácido málico, que ajuda o corpo a gastar energia de forma eficiente. A fruta contém quercetina, anti-inflamatório que diminui o risco de problemas cardiovasculares. Estimula o fígado e os rins.

f

Uvas – O outono lembra a arte das vindimas e não há melhor época para as comer que esta. Uva branca ou uva roxa, uma fruta fresca e fácil de comer que facilmente pode levar consigo. São uma espécie de petisco.

i

Romãs – As romãs são outro ícone desta estação. Corte a fruta ao meio, retire os pedacinhos e delicie-se. Se preferir introduza-as nas suas refeições, como por exemplo em saladas, em sobremesas saudáveis com iogurte e frutos secos. As possibilidades são infinitas.

“24 de novembro: dia da Ciência”

“A ciência explica a natureza e cria novos mundos que não percebemos com os nossos sentidos”. Marcelo Gleiser

O Dia Nacional da ciência, hoje, 24 de novembro, foi instituído em 1997 para comemorar o nascimento de Rómulo de Carvalho e divulgar o seu trabalho enquanto promotor da cultura científica e ensino da ciência.

Faz algo de científico hoje, junta-te a nós!

A ciência pelas escolas do País:

Equipa PES

Super-bactéria

Notícia do jornal SOL que muito interessa a toda a comunidade:

bacteria

“Cientistas alertaram hoje para o “potencial epidémico” de uma bactéria mortífera e de rápida propagação, resistentes aos antibióticos ditos de “último recurso”.

A nova super-bactéria, encontrada no sul da China, pode apagar quase um século de proteção garantida por antibióticos contra doenças mortíferas transmitidas por germes comuns como o “E.coli”, indicaram num estudo.

“Estes resultados são extremamente preocupantes”, disse Liu Jian-Hua, professor na Universidade Agrícola do Sul da China, em Cantão, e um dos autores do estudo.

Liu e os restantes autores descobriram um gene, apelidado ‘MCR-1’, que torna as bactérias resistentes a uma classe de antibióticos, conhecidos como polimixinas, e usados para combater as super-bactérias

O gene, detetado em bactérias comuns mas mortais como ‘Escherichia coli’ (E.coli, também conhecido como colibacilo) e ‘Klebselia pneumoniae’ (KPC), que causa pneumonia e doenças no sangue, torna estas bactérias invencíveis.

O ‘MCR-1’ permite à bactéria uma propagação fácil, de acordo com o estudo publicado pela Lancet Infectious Diseases.

Até agora, os raros casos de resistência ocorriam apenas através de mutações em organismos individuais, o que limitava fortemente a transmissão.

“As polimixinas eram a última classe de antibióticos que impediam a propagação de célula a célula”, afirmou Liu.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) já advertiu que a resistência antimicrobiana pode resultar “num regresso a era pré-antibióticos”, em que infeções de cura fácil podem ser fatais.

A maior parte das pessoas, entre 50 e 100 milhões, que morreram durante a pandemia da gripe de 1918, dez anos antes da descoberta da penicilina, foi morta por bactérias da pneumonia e não pelo vírus da gripe.

As superbactérias foram detetadas em análises de rotina de porcos e galinhas no sul da China. Os animais apresentavam bactérias resistentes à colistina, um antibiótico muito usado na medicina veterinária.

Isto levou os investigadores a examinarem a presença de ‘E.coli’ e ‘KPC’ em amostras, recolhidas durante quatro anos, em porcos e galinhas vendidos em dezenas de mercados de quatro províncias.

Analisaram também os resultados laboratoriais de doentes em dois hospitais nas província de Guangdong (sul) e Zhejiang (leste).

A baixa taxa de infeção nos seres humanos sugere que as superbactérias passam dos animais para as pessoas, sublinhou o estudo.

Embora atualmente esteja confinada à China, a bactéria ‘MCR-1’ pode “propagar-se mundialmente”, acrescentou.

Especialistas que não estiveram envolvidos nesta pesquisa manifestaram forte preocupação.

“É um estudo preocupante, uma vez que as polimixinas são muitas vezes o antibiótico de último recurso para tratar infeções graves”, disse Laura Piddock, professora de microbiologia na Universidade de Birmingham, no Reino Unido.

“Parece ser inevitável que a resistência às polimixinas seja acrescentada ao arsenal de bactérias resistentes a várias drogas e que se propague globalmente”, afirmou Judith Johnson, especialista em patogénicos emergentes na Universidade da Florida (sul dos Estados Unidos).

O professor Timothy Walsh da Universidade de Cardiff, que colaborou no estudo, disse à BBC que os antibióticos poderão, em breve, tornar-se inutéis.

“Se o ‘MCR-1’ se tornar global – o que é um caso de ‘quando’ e não ‘se’ – e o gene se juntar a outros genes resistentes a antibióticos, o que é inevitável, então provavelmente teremos atingido o início da era pós-antibióticos”, declarou.

Este estudo vai renovar o debate sobre o uso da colistina na pecuária, disseram os investigadores.

Na UE, a colistina é usada apenas na medicina veterinária. Mas na China é utilizada normalmente para promover o crescimento dos animais, especialmente nos porcos.

Cerca de 12 mil toneladas deste antibiótico são usadas anualmente na pecuária chinesa, de acordo com Marilyn Roberts, investigadora na faculdade de Saúde Pública da Universidade de Washington, em Seattle (oeste dos EUA). ”

Lusa/SOL

Quentinhas, boas…e saudáveis!!!

1

As castanhas assadas ou cozidas são uma tentação das noites frias, um fruto bastante popular em Portugal que anuncia a chegada do Outono. Congeladas ou piladas, as castanhas utilizam-se durante todo o ano nas mais diversas aplicações culinárias.

A castanha contém propriedades muito interessantes para a saúde . É único fruto oleaginoso a conter uma quantidade significativa de vitamina C ( uma média de 50 mg por 100 gr ), 60% das necessidades diárias de um adulto.

As castanhas engordam menos que os outros frutos secos, têm um teor de gordura  baixo, o que faz deste fruto um alimento menos calórico, com um valor de  200 kcal por 100gr.

São ricas em magnésio, em potássio, fosforo, vitaminas E, B1, B2 e B6,  uma excelente fonte de fibras e contém uma grande concentração de amido..

As castanhas por serem isentas de glúten, podem ser consumidas por pessoas com a doença celíaca.

2

Preparação

Faça um corte nas castanhas e coza-as. Escorra-as, descasque-as e reserve-as.

Leve 1,2 dl de água ao lume com o cubo Caldo de Galinha (caseiro) e a cebola, o peito de frango, as batatas cortadas em pedaços e as castanhas cozidas.
Quando ferver, deixe cozer tudo, durante 10 minutos. Retire a carne e junte as ervilhas.
Coza por mais 5 minutos. Triture a sopa e retifique os temperos.
Desfie o frango reservado e junte-o ao creme. Ferva por um minuto e sirva.

No final, adicione uma colher (sopa) de cebolinho.

 

2

Preparação

  • Coza as castanhas em água fervente temperada com uma pitada de sal durante cerca de 20-25 minutos.
  • Lave, descasque e corte a maçã em pequenos pedaços. Numa frigideira anti-aderente disponha a maçã, polvilhe com canela e cubra com água. Deixe levantar fervura e depois cozinhe em lume moderado durante cerca de 10 minutos.
  • Quando ambos os preparados estiverem cozidos, escorra muito bem e misture os ingredientes numa panela. Adicione o leite de amêndoa e triture, com o auxílio de uma varinha mágica, até obterum creme homogéneo e volumoso. Polvilhe com canela e sirva.

 

A equipa do PES deseja a todos um saudável S. Martinho!

Alimento da semana: alfarroba

This slideshow requires JavaScript.

   A alfarroba é extraída da vagem e pode ser usada para substituir o cacau ou o chocolate em pó. É muito saborosa e pouco calórica, tem um sabor suave e é rica em nutrientes. Estas são algumas das muitas caraterísticas do cartão de visitas da alfarroba.

   Encontra-se facilmente no mercado, principalmente na forma de farinha e promete ser um bom substituto do chocolate nas receitas mais gulosas.

   É pobre em gorduras, possui fibras como a pectina, conhecida por aumentar a saciedade; melhora a digestão e reduz o mau colesterol. É fonte de vitaminas tais como a B1, B2, A, sendo também rica em cálcio, magnésio, potássio, sódio e ferro – minerais que reforçam as defesas do organismo.

   E um bolinho de alfarroba, quem não quer provar?

   Nós queremos!

Equipa PESnaPINTOR