Dia Mundial da luta contra a Sida

No dia 1 de dezembro comemorou-se o Dia Mundial de Luta contra a Sida.
Este dia visa alertar as populações para a necessidade de prevenção e de precaução contra o vírus da SIDA. Este vírus ataca o sistema sanguíneo e o sistema imunológico do doente.

A SIDA ou VIH (Vírus da Imunodeficiência Humana) foi descoberta no ano de 1981 e matou mais de 30 milhões de pessoas em todo o mundo. África é o continente onde a SIDA tem feito mais vítimas. No final de 2013 contavam-se cerca de 35 milhões de pessoas com a doença e 7.500 novos casos por dia.

São três as formas de contágio do VIH/SIDA:

  • Relações sexuais;
  • Contacto com sangue infetado;
  • De mãe para filho, durante a gravidez, parto ou pela amamentação.

Integrado no Plano de Educação Sexual da Turma, os alunos do 10º Ano, na disciplina de Biologia e Geologia simularam a transmissão de uma DST, aproveitando assim esta data para compreender a importância da utilização de métodos contracetivos ( preservativo masculino) como  forma a evitar o contágio do VIH/SIDA.

Comer melhor neste Natal

Quando pensamos em Natal, brotam imagens de presentes e, claro, a deliciosa ceia de Natal. Apesar da diversidade que podemos encontrar nas mesas portuguesas, nesta altura do ano, a ingestão de gorduras saturadas e de açúcares refinados é uma constante.

Assim, tentando evitar o abuso deste tipo de alimentos, ficam aqui umas sugestões natalícias mais saudáveis:

Inicia as refeições com uma sopa de hortícolas. Desta forma ficarás mais saciado e não consumirás quantidades exageradas de outros alimentos;

sopalegumes

Acompanha as refeições com hortícolas cozidos (hortaliças, cenoura, couve, esparregado, grelos) ou salada (alface, tomate, cenoura, beterraba, cebola). Tempera com um fio de azeite e ervas aromáticas (fica delicioso!);

hortícolascozidos

Em vez dos aperitivos salgados e fritos, opta por colocar na mesa frutos secos como nozes, avelãs, amêndoas, pinhões e amendoins (de preferência sem adição de sal ou açúcares). Estes frutos, também chamados de frutos oleaginosos, são saciantes e ricos em ácidos gordos essenciais;

frutossecos

Os frutos secos como figo, passas e alperces secos, podem ser uma alternativa às bolachas e bolos;

Opta por confecionar as típicas refeições de Natal de forma mais saudável. Adiciona menos gordura e sal, utiliza o azeite como gordura de eleição para cozinhar e as ervas aromáticas ou especiarias para temperar;

azeitearomatizado

Elabora sobremesas saudáveis como por exemplo uma salada de frutas frescas enfeitada com romã que dará um efeito natalício, sendo este um fruto com benefícios antioxidantes e anti-inflamatórios;

Dos vários doces natalícios, dá preferência à aletria ou arroz doce, que são feitos à base de leite e ovos, ricos em proteínas de alto valor biológico;

Na confeção de doces, podes reduzir as quantidades de açúcar das receitas, utilizando outras alternativas para dar sabor a doces e bolos, como por exemplo canela e fruta.

rabanadas de forno

(rabanadas sem açúcar refinado, feitas no forno)

Um saboroso e colorido Natal!

A equipa PES

Luzes de Natal

Com o aproximar do dia 24 de dezembro todas as casas ganham cor e cheiro a Natal. Como não podia deixar de ser, a equipa PES espera que na tua casa reutilizes materiais para decorar a tua árvore de Natal.

Os resultados podem ser verdadeiramente únicos e surpreendentes!

Deixamos-te algumas dicas interessantes e muito bonitas.

Agora… é só dar luz às ideias!

This slideshow requires JavaScript.

A equipa PES

 

Porque a Sida existe…

Divulgamos uma notícia que será do vosso interesse:

A propósito do Dia Mundial da Luta contra a Sida, a ONU lançou esta semana uma campanha para promover os direitos das pessoas portadoras de VIH e combater a discriminação de que são alvo no local de trabalho.

“Actualmente, devemos trabalhar todos juntos, governos, empregadores e organizações de trabalhadores – membros da Organização Internacional do Trabalho (OIT) – e outras partes interessadas, e comprometermo-nos a proteger os direitos humanos das pessoas que vivem com o VIH, para que estas possam beneficiar de um trabalho produtivo e viver com dignidade”, afirmou o Director Geral da OIT, Guy Ryder, no lançamento da campanha em Genebra.

De acordo com a OIT, mais de 30 milhões de pessoas portadoras de VIH em idade activa ainda lidam com elevados níveis de discriminação, o que limita ou impede o seu acesso ao emprego. Os jovens em idade activa representam 40% das novas infecções por VIH que ocorrem anualmente em todo o mundo.

A campanha “Chegar a Zero no trabalho”, lançada dias antes do Dia Mundial de Luta Contra a Sida, pretende promover as recomendações da OIT sobre o VIH e a Sida no local de trabalho, recomendações que se referem à promoção dos direitos humanos, segurança no emprego e um melhor acesso à prevenção do VIH, tratamento e serviços de assistência e apoio no âmbito do local de trabalho.

“O objectivo mais desafiante é atingir zero discriminação”, afirmou o Director da ONUSIDA, Luiz Loures, afirmando que os esforços da OIT são cruciais para uma resposta efectiva ao VIH.”O local de trabalho é o local mais eficaz para proteger os direitos humanos dos trabalhadores e garantir um ambiente seguro e favorável para as pessoas portadoras ou afectadas pelo VIH”.

Acabar com a discriminação contra os portadores de VIH no local de trabalho enquadra-se no mote “Chegar a Zero”, tema dos Dias Mundiais de Luta Contra a Sida de 2011 a 2015.